Total de visualizações de página

domingo, 10 de novembro de 2013

Quer investir na bolsa?

Em primeiro lugar, não perca dinheiro!

A porta de entrada na bolsa de valores para a grande maioria das pessoas é a Análise Técnica (AT), que tem como objetivo oferecer um conjunto de ferramentas para que as decisões de compra e venda sejam tomadas a partir do estudo dos gráficos dos preços das ações. Mas será que apenas a AT pode nos proporcionar sucesso na renda variável?

Tenho observado várias pessoas entrando e saindo da bolsa de valores por várias razões. Mas quais os motivos? Por que isso acontece? A resposta para esta pergunta pode ser bastante longa, mas algumas razões principais podem nos ajudar a entender o que faz com que boa parte dos investidores acabam deixando a bolsa de valores para, provavelmente, não mais retornar.
  • Baixa tolerância ao risco de perda e à volatilidade inerente à renda variável.
  • Excesso de confiança e crença de que o mercado irá subir.
  • Falta de planejamento e de um plano estruturado de investimento para o longo prazo.
  • Expectativas de retornos elevados frustradas (há quem deseje obter, consistentemente, taxas acima de 5% ao mês).

Os iniciantes acreditam que apenas o uso sistêmico de algumas das ferramentas da AT são suficientes para obter sucesso no mercado financeiro. De fato, um bom sistema de trade (setup ou conjunto de regras) é um fator de extrema importância, mas sozinho não é capaz de proporcionar resultados consistentes de longo prazo. Assim, um operador (trader) bem preparado tem um conjunto equilibrado de três ferramentas:
  • Sistema - Conjunto de regras que devem ser executadas para determinar as ordens de compra e venda.
  • Disciplina – Controle emocional para executar o sistema de forma automática, sem pensar e sem emoções.
  • Gerenciamento de Risco – Regras para determinar a quantidade de capital a ser alocado em cada operação, valor máximo de perda (stop loss) e preço-alvo (stop gain).

Vamos explorar um pouco mais o risco de perda. Em o Investidor Inteligente, de Benjamin Graham, Jason Zweig nos explica qual é o efeito de um prejuízo em um portfólio de investimentos em ações (cap.20, p.568 e 569).

"O que é risco?
Você obterá respostas diferentes dependendo de quando e para quem você pergunte. Em 1999, risco não significava perder dinheiro; significa ganhar menos dinheiro do que os outros. Muitas pessoas temiam encontrar alguém em um churrasco que estivesse enriquecendo mais rapidamente do que elas ao fazer daytrades de ações ponto-com.Então, de repente, em 2003, o risco tinha passado a significar que o mercado acionário poderia continuar a cair até que destruísse quaisquer resquícios de riqueza que você ainda conservasse.Suponhamos que você encontre uma ação que você acredita poder crescer a 10% ao ano, mesmo que o mercado cresça apenas 5% ao ano. Infelizmente, você fica tão entusiasmado que paga um preço alto demais e a ação perde 50% de seu valor no primeiro ano. Mesmo que a ação gere o dobro do retorno do mercado daí em diante, você levará mais de 16 anos para superar o mercado, simplesmente porque pagou demais e perdeu demais no começo.

Perder algum dinheiro é inerente ao investimento e não há nada que você possa fazer para evitar isso. No entanto, para ser um investidor inteligente, você deve assumir a responsabilidade de garantir que nunca perderá a maioria do seu dinheiro ou todo ele."

Neste exemplo fica claro que o simples fato de entrar na bolsa de valores implica em aceitar as perdas, porque elas certamente virão. Não podemos evitá-las, mas podemos estabelecer um limite para que os prejuízos não nos façam perder todo o nosso capital alocado em ações.

Agora que você entende melhor o impacto de um prejuízo, planeje bem o seu trade e defina claramente o seu ponto de perda máxima. E, mais importante do que definir o preço de saída é executá-lo sem pensar, caso seja necessário.

Um abraço!

Nenhum comentário:

Postar um comentário